X

Checklist para iniciar um e-commerce

Published on: fev 16 2016 by Daniel Assad
checklist-ecommerce

Muitas pessoas tem o desejo de abrir sua loja virtual, mas não fazem não somente por falta de dinheiro ou tempo e sim por falta de conhecimento ou, pior, pelo excesso de informações. Isto mesmo, a imensidão de conteúdo na internet tem seu lado negativo. Quanto mais você navega, mais se aprofunda e afunda, se sentindo incapaz de realizar tal tarefa sem-fim.

Não é fácil ter uma loja virtual de sucesso, é necessário muita leitura, sim! Mas você não pode perder o foco, queimar etapas ou investir energia no momento errado.

Por isso decidi criar este guia, para contar etapa por etapa, do planejamento até o pós venda.

 

Parte legal

Para toda transação de vendas no Brasil é necessário emitir nota fiscal eletrônica (NFe), isto inclui aquelas realizadas através do E-commerce. Para emitir NFe você pode emití-las diretamente através do site da fazenda de seu estado, informando sempre os dados do seu cliente, loja, produtos e valores. É um processo manual e repetitivo, mas que tomará pouco tempo no momento inicial quando você ainda tiver poucas vendas. Durante o crescimento da sua loja, você poderá integrar seu e-commerce à uma empresa que irá automatizar o processo de emissão, conhecidos como ERP. Além da parte fiscal o ERP irá ajudar no controle de estoque, base de clientes, entre outros serviços.

Para emitir NFe você precisa ter um CNPJ. Para baixar os custos e até mesmo a necessidade de emissão de nota fiscal, você poderá iniciar com o MEI. É uma modalidade bem simples e econômica. Você mesmo conseguirá abrir e ficar na legalidade. o MEI é ideal para aqueles que venderão até R$5.000,00 mensais ou R$60.000,00 anuais. Após esta faixa, consulte um contador sobre as empresas do tipo Ltda.

Leia mais sobre o MEI e a obrigação de emitir NF-e no site Sebrae.

 

Mercado

Antes de inciar sua aventura no mundo digital você deve fazer uma pesquisa sobre o seu produto e o público que deseja investir. Caso contrário, você se tornará mais um no meio de milhões ou acabar concorrendo com grandes players como Netshoes, Americanas, etc. A menos que você tenha bastante dinheiro para investir em marketing, acho que é uma péssima estratégica se lançar no mercado digital sem um mercado e público específico.

Uma boa ideia para localizar um público e mercado específicos é pensar se existe um problema e como pode ajudar para solucioná-lo através do seu produto. Feito isto, talvez você não estará vendendo tênis, mas sim tênis femininos tamanho 40 / 41 como produto principal.

Se você já tem um produto em mente ou produzindo, tente este desafio: Qual o problema meu produto resolve? Para qual público ele é mais relevante. Após responder estas perguntas, fique em mente que é para estas pessoas seu esforço inicial em marketing. Amplie futuramente, oferecendo novos produtos para o mesmo público ou similares.

Fazer este planejamento também o ajudará a entender se o seu público é grande o suficiente para manter o seu negócio e atingir seu objetivo de vendas. Pois neste momento, imagino, que você tem um objetivo de vida e não vender apenas por vender, como um revendedor de catálogos. Correto?

 

Definir a plataforma de e-commerce

Existem diversas plataformas de e-commerce e modelos de contratação. O mais comum é decidir por agências ou desenvolvedores que irão te entregar sua loja virtual em software livre (ex: Opencart e Magento) ou agências que utilizam software próprios. O objetivo deste post não é debater qual é a melhor escolha, para isto, navegue um pouco mais nas páginas deste blog.

Outro modelo também disponível são as lojas por assinatura, ou seja, você paga mensalmente para manter sua loja virtual num serviço online e eles gerenciam toda a parte técnica para você.

Sua plataforma deve estar preparada para te atender hoje, pequeno, e ter recursos disponíveis para crescer junto com você. Por exemplo, após começar a vender mais de 10 pedidos por dia, consigo integrá-la com algum ERP?

Independente da plataforma que você escolha, se está procurando ter um bom resultado é interessante procurar um parceiro que irá auxiliar em todas as etapas do seu e-commerce, além do desenvolvimento, a criação de um layout responsivo e voltado para a conversão de vendas. 

 

Produtos

Faça um estudo dos itens ou serviços que você irá disponibilizar na sua loja online. Consulte a concorrência, verifique preços, formas de entrega e facilidades de pagamento deles. Se possível contrate um profissional que poderá fazer um diagnóstico do seu mercado.

Organizar como ficarão distribuídos os produtos, ou seja, a árvore de produtos e categorias, é uma tarefa importante. Isto ajudará na navegação do seu site e definirá quão fácil será encontrar produtos na sua loja.

Pense também em quais informações serão divulgadas, a produção das fotos e embalagens.

 

Definir política de troca

Para evitar prejuízos futuros e dar mais transparência e segurança para os seus futuros clientes, crie uma política de troca e devolução. Esta política além de importante é obrigatória, segundo a lei do e-commerce.

 

Definir formas de pagamento e mecânicas

Se a plataforma escolhida não vier com este ponto já pré-definido, faça um estudo sobre todas as formas de pagamento e suas mecânicas disponíveis. Além de economizar com as taxas das operadoras, esta escolha poderá aumentar sua conversão de vendas. Pense também se é possível oferecer parcelas sem juros ou se gostaria de incluir outros modelos de pagamento como pagamento na entrega, depósito bancário, etc.

 

Definir formas de envio

Este item engloba tanto o seu parceiro de envio (ex: Correios) como outros pontos relacionando às modalidades e tarifas (PAC, SEDEX, Frete Grátis, etc). Faça um planejamento de quanto tempo é necessário para você produzir e/ou despachar uma mercadoria assim que um pedido é aprovado e adicione este tempo (e/ou valor) aos prazos fornecidos pelo seu parceiro de envio.

Quanto mais transparente você for ao avisar o seu cliente quanto tempo demora para ele receber um produto, menos trabalho com suporte você terá, além, é claro, de clientes mais satisfeitos.

 

Funções e Equipe

Avaliar a capacidade da sua equipe para realizar todas as funções acima. Se será necessário contratar empresas para algumas das atividades ou distribuir funções internamente. Definir e deixar claro todas as funções e atividades do e-commerce em relação à sua equipe.

Quem será responsável por:
- Verificar o estoque e mix dos produtos para novas aquisições
- Cadastrar e manter atualizada as informações de (novos) produtos
- Receber e enviar os pedidos e nota fiscal
- Atendimento (SAC)
- Planejar e executar campanhas de marketing

Filed under: Blog e Dicas, Comércio Eletrônico, Mercado

Deixe um comentário

*

*